segunda-feira, 23 de março de 2009

FARRA DO BOI

FARRA DO BOI
Edson O. Ramos (Cebola)

Com tanta coisa ocorrendo e todo ano, quando chega esta época, é a mesma coisa!
Os problemas relacionados à falta de segurança e de perspectivas para muitos, com a pobreza disseminada e a corrupção em todos os níveis da sociedade, são deixados de lado. E as pessoas ficam falando e escrevendo em relação à farra do boi!Lembro que desde pequeno ouvia os adultos conversando sobre a tal farra. Quando adolescente e quando jovem, muitas vezes fui ver. Achei "o fim da picada", um monte de marmanjos atazanando e correndo do boi.Não havia policiamento, nem divulgação. E, certamente, MUITO MENOS VIOLÊNCIA!Então vieram pessoas, a maioria de outras regiões (migrantes), que se imiscuíram em temas sobre os quais nada entendiam e começou-se a criticar o boi-de-mamão, o pau-de-fita, o pão-por-Deus, os ternos-de-reis, a farra do boi, etc.
Aliás, que saudade dos ternos-de-reis de minha infância!
Os jovens de hoje nem sabe o que é isso.Quando vejo professores fazendo apologia ao halowen, fomentando uma cultura que nada tem a ver conosco, incentivando crianças a se caracterizarem e, pior, com as direções das escolas achando bonito e estimulando, fico a pensar: será isso a tal globalização? Ou será apenas a mediocridade de idéias vencendo?Há três anos fui convidado para assistir a uma farra do boi, em uma comunidade próxima. Fiquei horrorizado!Não tem mais nada relacionado com minhas lembranças de jovem.Claro que haviam muitos manezinhos autênticos participando, mas também muitos bêbados e drogados, que nada tem a ver com o evento, metidos no meio, estimulando a violência gratuita. Então chegou a polícia.Completou-se o festival de insanidade, que acabou com dois tiros e o boi abatido.Com eles, um metido arrogante, que também nada tinha a fazer, criticando a tudo e a todos, chamando as pessoas de "ignorantes e bárbaros". Evidentemente estava escoltado pela polícia.Pelo sotaque, ficava claro que não era daqui.Os velhos do local, que haviam me convidado, estavam tristes e irritados. Disseram que os que estavam perturbando não eram da comunidade. Disseram que eles costumam vir e atrapalhar. Fácil de entender, com toda a divulgação que a mídia faz!Não gosto da farra do boi. Como não gosto dos tais rodeios (Barretos, etc). Como não gosto das touradas - já vi uma, e torci para o touro!Mas acho que quanto menos a mídia se intrometer, o poder público usar e abusar das "leis dos politicamente corretos”, pior os fatos. Por que não tentam acabar com as corridas de touros ou os rodeios? Lá o poder econômico fala mais alto.Tempos atrás, o Fernando Gabeira e a (atriz) Lucélia Santos aqui apareceram. E com todo o respaldo da mídia, disseram barbaridades. Também, certa feita, fui assistir (no clube Doze) a um show da Rita Lee, acompanhada apenas de um violão. Ficou a metade do “espetáculo” falando mal da farra do boi. Coitada, deve ter muitos problemas, realmente!Por que esses indivíduos não colocam toda sua importância, como formadores de opinião, manifestando-se contrários à prostituição infantil, ao tráfico de drogas - seria cômico! - ou à violência doméstica, etc.Talvez porque se assim fosse, não ganhariam o espaço na mídia pelo qual tanto anseiam.Respeito a quem pensa diferente, mas vamos nos preocupar com fatos mais relevantes para a sociedade, como o uso indevido de nossos mananciais de água, do absurdo que é se usar água tratada para lavar carros em lava-rápidos ou similares, com o aterramento de mangues e pequenas enseadas - como querem fazer agora, com a complementação da beira-mar de São José, aqui na Grande Florianópolis.Se deixarem os tais farristas de lado, com a polícia vigiando os bêbados e abobados que ficam correndo atrás dos bois, impedindo os abusos, logo essa prática diminui e fica restrita apenas aos locais de origem.
Se repressão fosse a solução, será que ainda teríamos tráfico de drogas?Estou achando ótima a matéria que vi hoje, 23/03/09, na televisão: dois bois que foram apreendidos pela polícia, que iriam para uma farra (segundo os policiais), foram levados para um frigorífico em São José, onde serão (amanhã) abatidos. E se tornarão bifes, também para os politicamente corretos que criticam os farristas.Interessante, não!?!Tenho muitos animais, plantei e planto muitas árvores, crio gado (não vendo para farristas!), preservo a natureza, preservo as nascentes e os mananciais de água que ficam em minhas terras, preservo várias espécies vegetais que estão correndo risco (como a corticeira - tenho umas trinta árvores), o pau-brasil (tenho cinco árvores), a imbuia, o ipê e outras. Já plantei pelo menos mil araucárias em diversos pontos de minhas terras, que por lá ficarão, dando sombra e pinhão.Creio que devemos nos preocupar com coisas mais úteis do que a farra do boi.

6 comentários:

PAULOCOELHOFLN disse...

Olá cebola,
Gostei muito do texto sobre a farra do boi, uma coisa temos que considerar que sempre a policia chega depois do ocorrido é realmente inadimissível que com toda a tecnologia de informação e os famosos P2 em ação eles não saibam quando onde e quem faz a farra do boi.
Mas prefiro o teu comentário a respeito da natureza que procuras preservar no teu sítio se a geração atual te criticar por questionar a farra do boi pelo menos a proxima vai te agradecer pelas arvores que plantaste e as nascentes preservadas.
Um abraço
Paulo Coelho

Jo disse...

Ola Professor Cebola, gostei muito do seu texto e tambem concordo que a farra do boi tornou-se oportunidade para pessoas de fora criticarem os moradores do nosso estado, mais interessados em sentirem-se superiores do que com o merito da questao em si. Ainda sobre o tema, lembro que em meados de 2006, uma declaracao do entao diretor de marketing da Santur provocou muita polemica. O sr. Valdir Walendowsky afirmou para a RBS TV que "a farra do boi e uma atracao que faz parte da venda do roteiro de turismo do Estado". Tao logo tomou conhecimento, o Secretario de Turismo do Estado de SC, Gilmar Knaesel, desautorizou o diretor de marketing da Santur a falar da farra do boi em nome do governo. Mas a reacao mais engracada que eu soube foi a de um (ex)vereador de Blumenau, Ivo Hadlich. Num episodio que parecia de novela, ele organizou uma passeata de protesto contra a declaracao malfadada, percorrendo a cidade ate em frente da Camara de Vereadores do municipio de Bluemenau onde fez o seguinte pronunciamento: "Arrancam os chifres do boi e furam seus olhos. Se isto e tradicao quero mudar de estado." E mesmo um tema polemico e prato cheio para os que gostam de exagerar, tanto entre os que participam, quanto os que sao contra. Um grande abraco professor.

Jo disse...

Parabens pelo seu artigo publicado no jornal ND de hoje, sexta-feira dia 27/03/2008. O sr. sem duvida e um exemplo para outras pessoas: um cidadao comprometido, consciente, enganjado, realista mas sem perder o idealismo. Precisamos de mais pesssoas como o sr! Um abraco.

Jo disse...

Pois e professor, nem todos pensam como eu, mas o que seria mesmo do amarelo se todos gostassem do azul? Estou me referindo ao comentario de uma leitora do jornal ND publicado na ultima terca-feira dia 31 de marco, a respeito do seu artigo sobre farra do boi. O sr. viu? Um abraco.

Nildo disse...

Professor,

Achei essa sua matéria por engano. E posso dizer que foi um grato engano; pois compartilho plenamente com suas posições.
Quanto a Brincadeira de Boi de Campo. Sim, era assim que chamávamos antigamente; esse apelido Farra do Boi foi coisa da imprensa que inventou.
Realmente era uma brincadeira muito legal... Todos participavam [ estou falando dos nativos de Bombinhas, onde nasci e cresci, onde não existia chifres arrancados, pernas quebradas etc...]. Realmente quem via de fora parecia uma coisa totalmente sem graça. Mas, para os nativos é uma grande festa que ferve no sangue de suas veias. E até entendemos que os de fora não achem graça.
Fico chateado quando algumas pessoas criticam sem conhecer. Chamando aquele povo pacato de criminosos. E professor, bêbado e drogado tem em toda parte; e já é outra polêmica muito mais grave ... E de pouco debate. Ou pelo menos aquém do que merecia. E isto não faz parte da Brincadeira ...
No Brasil inteiro tem festas com bois; faz parte da cultura brasileira. Olhem as Vaquejadas, CTG, Rodeios etc. Que também não achamos graça alguma.Mas, como deveríamos, se não nascemos no meio dessas tradições, então não podemos criticar.
Bom!! Agora é crime e pronto... só se faz as escondidas ... como criminosos.
Em outro momento, se senhor quiser, dou a minha opinião sobre o verdadeiro motivo dessa polêmica. E lhe garanto não tem nada haver com o boi.
Quanto aos ternos de Reis e Boi de Mamãoo continuamos fazendo todos os anos... e também é muito legal. Só falta agora virá crime também ...para ficar melhor ainda... Rrsrsrsr
Quanto a plantar arvores e cuidar da natureza ´... sem mais comentários ... tenho pelo senhor grande admiração por isso também.

Edson Osni Ramos (Cebola) disse...

Valeu, NILDO, OBRIGADO!
É muito triste ver tradições sendo usurpadas e deturpadas por indivíduos que ignoram o que está realmente ocorrendo e dizem barbaridades sobre fatos que não conhecem.
Abraço
Cebola