sábado, 3 de outubro de 2009

O ENEM, OS JOGOS OLÍMPICOS E OS NETINHOS DA VELHINHA DE TAUBATÉ

O ENEM,
OS JOGOS OLÍMPICOS
E OS NETINHOS DA VELHINHA DE TAUBATÉ
.
Autor: Edson Osni Ramos (Cebola)
Na última 5ª feira, 1º de outubro, despertamos com a novidade: a prova do Enem foi cancelada, devido a vazamento de questões (fraude) ocorrido.
Para quem vive no meio acadêmico, não foi surpreendente, apenas decepcionante.
É difícil em um país como o nosso, uma prova única, com a magnitude do Enem (quatro milhões e cem mil exemplares espalhados), ser aplicada sem possibilidade de fraude?
Nosso povo, infelizmente, tem uma índole tal que são valorizados os “expertos”, os “safos”, os vigaristas e similares. Os honestos são, de forma geral, são considerados otários.
Os brasileiros, de maneira geral, são pessoas que gostam de “levar vantagem em tudo, entende!”
E não estou afirmando isso como um desabafo apenas, não estou colocando de forma aleatória ou empírica. Podemos fazer amostragens.
Nossos representantes, ou seja, aqueles que representam todos os demais habitantes do país no Congresso Nacional e em outras instâncias menos relevantes (mas não menos onerosas) simbolizam o povo.
Se observarmos as notícias oriundas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, conclui-se que no quesito honestidade muitos deixam a desejar. A quantidade de processos e condenações na justiça demonstram, de forma inequívoca, que nossos representantes padecem de certos preceitos que seriam convenientes aos que representam um povo de boa índole.
Claro que no Congresso Nacional tem muita gente honesta! Assim como grande parte da população brasileira é honesta. Porém, a maioria dos honestos é constituída por indivíduos ingênuos ou omissos. Ou as duas coisas.
São aqueles que acreditam em Papai Noel, em Saci-Pererê e nas boas intenções dos que nos governam!
Na época da ditadura militar (da última – e queira Deus que seja realmente a única!), O escritor Luiz Fernando Veríssimo criou uma personagem: a “Velhinha de Taubaté”. Era a última pessoa em nosso país que acreditava nos desmandos das autoridades e nos comunicados dos órgãos oficiais do governo. Pois pensei que a “Velhinha” tinha morrido. Talvez até tenha, mas deixou inúmeros netos.

Outra coisa inquietante: os órgãos do governo estão comunicando que a partir de agora não teremos mais vestibular, somente o Enem, onde serão cobrados de nossos alunos apenas raciocínios. Agora não mais teremos as “decorebas” e o uso de fórmulas, diz a propaganda oficial.
Então gostaria que observassem essa prova do Enem que não foi realizada (a prova fraudada, já disponibilizada para os interessados). Compare-a com as provas, por exemplo, dos últimos vestibulares da Universidade Federal de Santa Catarina.
Apenas no formato existe diferença. Os assuntos abordados e as maneiras de abordagens são idênticas. Com o uso de raciocínios e fórmulas, bem de acordo com o programa da UFSC e das matrizes de referência do Enem, capazes de cobrar competências e habilidades dos vestibulandos.
Novamente percebe-se que a diferença está apenas na retórica.

Mas, é compreensível! Enquanto em nosso país a educação de base for deixada de lado, como um subproduto ventilado apenas em tempos eleitorais, será isso mesmo. Um povo que ama pão e circo e que está sempre a espera de um Messias populista que traga algum alento.
A educação privada tem de ser uma opção, não uma necessidade!
A maioria das escolas públicas desse país vive ao deus-dará.

E, de quando em quando o governo vem com a solução final: há três anos eram as cotas que resolveriam as desigualdades sociais do país.
Agora a solução é o Enem!
Logo teremos nova prova do Enem.
A angustiante pergunta é: será que nesta prova as fraudes serão descobertas?

Mas, nem tudo está perdido.
Ontem, 6ª feira, 3 de outubro, tivemos a grande notícia: o Rio de Janeiro vai sediar os Jogos Olímpicos de 2016! Estamos no primeiro mundo: depois da Copa de 2014, as Olimpíadas de 2016!
E, novamente, os netos da Velhinha de Taubaté foram as ruas, vibrando e cantando com essa possibilidade de resolvermos todos os problemas do Rio de Janeiro, com as Olimpíadas.
Nosso presidente até chorou de emoção!
Dizem: se Barcelona se redimiu de seus pecados com as Olimpíadas de 1992, porque no Rio de Janeiro não acontecerá o mesmo?

Pois é, mas quem vai pagar a conta?
Se as despesas (declaradas) com os últimos jogos Panamericanos (Rio de Janeiro/2007) excederam em 10 vezes o planejamento orçamentário feito, com contas ainda não devidamente justificadas perante os órgãos competentes, como garantir que não ocorrerá novamente?
Principalmente sabendo que os organizadores são basicamente os mesmos?

Mas, não há de ser nada, dizem os netinhos, as Olimpíadas vão mostrar o Brasil para o mundo. E se “até” os chineses fizeram um espetáculo deslumbrante, então “nós podemos”, como diria nosso “timoneiro” de forma “bastante original”.

Mas quem vai pagar a conta?
Provavelmente alguma autoridade “experta” apresente mais um projeto no Congresso Nacional: “IMPOSTO PARA OS JOGOS OLÍMPICOS”. E ainda argumentariam: nossa população já paga tantos impostos que provavelmente nem notará mais um.

"Pois sim!", como diria meu pai.

14 comentários:

Prof Dudu disse...

Oi Cebola,


que saudade!!!!
Se a angústia é grande por aí, imagine os alunos daqui do Mato Grosso, onde a UFMT aderiu 100% ao ENEM. Tivemos que mudar todo o calendário para terminar o conteúdo até 02 de outubro, sem férias, com aulas extras à noite...
O pior é que desta tragédia anunciada, resta o medo de no próximo, de acontecer a mesma coisa, ou haver vazamento e apenas alguns mais abastados terem acesso a fraude, ou pior, ser cancelado novamente e a UFMT não ter como preparar um processo de forma rápida e eficiente.
Acho nobre a ideia de uma prova menos conteudista, mas acho que tem que se ter uma competência muito maior do que a demonstrada nesta prova.


Grande abraço de seu Amigo


Prof. Dudu

Edson Osni Ramos (Cebola) disse...

Grande Eduardo, meu amigo e colega de trabalho (co-autor de um livro do qual consegui ficar com apenas 1 exemplar - todo "arrombado" - porque os demais saíram todos, lembra?!
Forte abraço, amigo

taciana disse...

O Mulla chorando foi demais pra mim. É tudo tão surreal que chega a dar medo. bj

Jonio disse...

Esplendido texto professor: elucidativo, incisivo, mordaz, brilhante!!!! um abracao att vieira

PAULOCOELHOFLN disse...

Caro Prof. DUDU também trabalhamos juntos acredito que 100% ENEM foi um pouco de exagero de UFMT, pois não dá espaço para nenhum plano B e pode deixar milhares de alunos sem a oportunidade de acesso ao ensino superior.
Acredito que muitos sabiam que poderia acontecer o vazamento das provas do ENEM tendo em vista a dimensão que ela ganhou, mas isso somente seria divulgado após a realização das provas e entraria em mais uma investigação que não daria em nada e somente se desse muito na vista poderia acontecer alguma coisa contra um ou pé de chinelo enquanto os que realmente seriam beneficiados ficariam ocultos sobre o manto da impunidade.
Infelizmente Brasília é mais implacável que a Sicília mesmo agindo com mais discrição.
Um abraço
Paulo Coelho (Ex.Geração)

Caroline Bourdot Back disse...

Excelente texto, meu eterno professor!

Um grande abraço.

André disse...

Parabéns pelo texto Cebola! Fez muito bem em "reviver" a Velhinha de Taubaté... as vezes ainda penso nela, "tadinha".
Mas uma pequena correção "datistica": a copa é em 2014 hehehe

Abraços!
E da-lhe Grêmio!

Diogo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diogo disse...

Opa, e ai Cebola!!!

O mural do Guilherme tb ta bem legal. Parabéns aos 2.

Bom, qto ao texto, eu achei bem legal, porém eu fiquei realmente feliz com a escolha do Brasil, o problema é que agora nós, a população, temos que exigir do governo o acompanhamento real dos seus gastos, os projetos orçamentários, o empenho, liquidação e pagamento da despesa pública... Enfim precisamos da prestação de contas em tempo real dos fastos que serão feitos pelo governo. Caso isso ocarra continuarei feliz, se não me desapontarei MAIS UMA VEZ.

Floripa disse...

... transformar a indole do povo ... complementando, no Pan todos os notebooks dos "voluntários" sumiram !!!???

giselle ramos disse...

Triste notícia, e triste constatação concordar com grande parte do texto, mesmo que as pessoas mais próximas que temos não sigam essa maré. Enem remarcado "no mesmo bolo" da UFSC, ainda... Vendeu-se o Enem como "o fim do vestibular" e, como se viu, não se resolveu. E segue a pressão, agora ainda maior, sobre os alunos...
Sobre a Olimpíada, para a cidade do Rio de Janeiro realmente vai ser ótimo ter uma olimpíada, até hoje Barcelona tem sua historia contada em Antes e Depois dos Jogos Olimpicos. Agora pro resto do país... TE-NHO ME-DO.
Beijo, pai.

Jonio disse...

Professor, estou de pleno acordo com sua (otima) explanacao, mas gostaria de fazer mais um comentario voltado para a turma do contra, que sempre fica do lado contra somente para ter uma opiniao e nao por refletir sobre o assunto. Parafraseando Monteiro Lobato (que teve peito e coragem de criar a primeira editora no Brasil numa epoca em que todos os livros eram impressos em graficas da europa, sem contar as suas campanhas progressistas e visionarias em defesa dos nossos recursos naturais/ petroleo): "O grande erro dos homens é confundir corrupçao com evoluçao. Condenam as formas novas que vao se determinando em consequencia do natural progresso humano, em nome das formas velhas. Para eles, logicamente o automovel é a corrupcao do carro de boi, o telefone é a corrupcao do moço de recados, o homem é a corrupcao do macaco."

Jonio disse...

Com certeza o sr ja deve ter visto muitos da turma do contra, que se aproximam do sr alegando defender a mesma posicao sobre um assunto mas quando se conversa com o individuo logo percebe-se que ele nem entendera os motivos que levaram o sr a sustentar aquela posicao... faz lembrar aquele ditado que toda unanimidade é burra...mas vou parar com desvaneios, e gostaria ainda de cumprimenta-lo pela publicacao do artigo hoje (07/10/09) no jornal noticias do dia (onde foi que eu ja li aquilo mesmo...rs) abracao att vieira

Luhhh =D disse...

Oi Professor!

Bem legal o texto, gostei da analogia com a velhinha de Taubaté :D
Pois é, muitos netinhos por aí...
o problema do povo brasileiro é que não lê jornal e muito menos livros, logo não conseguem formar uma opinião sólida sobre as coisas, e são facilmente manipulados =/
Concordo que também falta honestidade e solidariedade, acredito que o ser humano conquista e tem cada vez mais consciência disso, através da educação didática e da vida.É clichê, mas é verdade, como diz a minha mãe =D
Ah o ENEM, muitas discussões, confusões, a Fundação vai usar 100% ainda, não sabemos o que vai dar????? só nos resta manter a calma e estudar...e decorar fórmula sim, pois precisa no ENEM, como o professor disse mesmo, é parecido com o vestibular da UFSC, fazer a prova da UFSC é bom treino para o ENEM.E o vestibular ser substituido pelo ENEM? Não acredito.
Bom, teve a CONAE essa semana na UFSC, parece q o governo está mais atento a educação, espero que todos os projetos discutidos nesse evento, consigam sair do papel.
Em que deve ter menos cabide de emprego e menos favorecimentos por causa q fulano é do partido X.Os empregos devem ser conquistados pela competência e não pela proteção de partidos políticos.
E, finalmmente, os professores consigam festejar o seu dia e terem o respeito merecido.
Feliz dia do professor!!!
=D